Polícia investiga quadrilha que falsifica diplomas

16 de Maio de 2009

Investigação teve início a partir de denúncia do Conselho Regional de Serviço Social e prossegue no interior do Maranhão.

O Conselho Regional de Serviço Social – 2ª. Região/MA (CRESS/MA) apresentou denúncia à Delegacia de Defraudações, no Plantão Central da Av. Beira Mar (RFFSA), em São Luís, de falsificação de diploma de curso superior em Serviço Social.

“Uma pessoa procurou o Conselho para solicitar o seu registro profissional para o exercício da profissão. Na análise da documentação, no entanto, percebemos que se tratava de um diploma falso e encaminhamos o caso à polícia, para as devidas providências”, explicou a Conselheira Presidente do CRESS/MA Andréia Everton.

“Quando fomos colher o depoimento da requerente do registro, percebemos que ela havia sido tão vítima quanto o conselho: ela pagou por quatro anos de um curso superior que nem chegava a ser à distância; era mesmo por correspondência. Provada sua inocência após os devidos esclarecimentos, a mesma foi liberada, mas as investigações prosseguem”, explicou o delegado Marco Antonio Fonseca, à frente do caso, que investiga uma quadrilha que age nos municípios de Presidente Dutra, Santo Antonio dos Lopes e Governador Archer, além de Dom Pedro.

ENTENDA O CASO – Em seu depoimento, Simone Alves de Oliveira, a vítima, afirma ter chegado ao “facilitador de ensino” através de sua irmã, a quem ele teria oferecido curso superior à distância. A irmã, que havia se formado recentemente em outra faculdade, tomou os contatos sabendo do interesse da primeira.

A estudante passou a receber apostilas, onde estudava. As avaliações eram remetidas pelos correios e nunca eram devolvidas. “Se eu perguntava pela prova, sempre respondiam com uma nota acima de sete e diziam que eu havia sido aprovada”, afirma em depoimento. Terminado o curso, ela teria perguntado se poderia participar da colação de grau e festa de formatura. O “facilitador de ensino” a fez desistir, já que aqueles atos aconteceriam em Campinas, para onde, se quisesse ir, teria que arcar com as despesas de passagem, hospedagem etc.

ENSINO À DISTÂNCIA – A Universidade Paulista (UNIP) existe, oferece cursos de graduação e à distância e teve seu nome usado para enganar diversas pessoas naquela região do Estado. Um exemplo é o diploma falso: o nome do reitor, Basílio, aparece como Brasílio, com assinatura falsificada.

Em contato com o campus de Campinas da Universidade, funcionários do CRESS/MA descobriram que aquela unidade nunca oferecera o curso de Serviço Social na modalidade à distância.

“O conjunto CFESS/CRESS tem um posicionamento contrário ao ensino à distância. O presente caso mostra que é preciso que as pessoas estejam atentas: a qualidade do ensino fica prejudicada nessa modalidade e nesse caso, uma fraude comprovada, a coisa foi além”, afirmou Andréia Everton. E completou: “A de fiscalizar é uma das funções do CRESS. O exercício ilegal da profissão é uma questão preocupante e procuramos estar sempre atentos, através da permanente fiscalização”.

Marco Antonio Fonseca parabenizou a postura do Conselho: “Essa política de investigação antes da expedição da carteira de registro profissional é interessante e necessária. É grande o número de supostos profissionais de outras categorias que atuam sem registro e que prendemos constantemente e seus conselhos não tomam providência nenhuma”, afirmou o delegado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: